Ação social e higiene urbana no topo das prioridades para 2017

Ação social e higiene urbana no topo das prioridades para 2017

20 dez 2016
  • obras municipais
  • Apoio Social
  • Lazer
foto

A Assembleia Municipal de Oeiras aprovou no final do mês de novembro o orçamento do Município para 2017, no valor de 128.023.360 euros, traduzindo-se num incremento de 0,47% face a 2016 (127.424.050€). Ação social, saúde, higiene urbana e espaços verdes são áreas em destaque, neste orçamento que inclui também grandes projetos, nomeadamente a continuação do Passeio Marítimo.

Em Oeiras planeia-se o futuro valorizando a responsabilidade e a cidadania. Com as pessoas em primeiro lugar, deu-se prioridade à área social, nomeadamente no que às crianças e aos idosos diz respeito – os mais vulneráveis – reforçando as políticas sociais e os projetos que contribuem para uma sociedade mais justa e mais feliz.

Porque o património histórico e cultural de Oeiras deve ser respeitado, qualificado e preservado, continuar-se-á a investir na política de revitalização dos centros históricos do concelho, com o objetivo de devolver-lhes a sua dinâmica e importância histórica. A vida nestes núcleos dependerá de medidas como a repovoação, através das políticas de Habitação Jovem.

Na área do Ambiente o objetivo é recuperar os elevados índices de higiene urbana e de qualidade dos espaços verdes. Relativamente a projetos estruturantes, destaque para a continuação da obra do passeio marítimo, criando mais dois quilómetros e, dessa forma, dar corpo ao sonho de unir Algés a Oeiras.

Este orçamento estabiliza Oeiras no topo da maioria dos indicadores de desenvolvimento, competitividade, qualidade de vida, coesão social, emprego e segurança, sendo por isso natural a expectativa de que será um território ainda mais atrativo para o investimento.

A elaboração deste documento baseou-se na vontade do Município em construir o futuro sob uma gestão consciente, estratégica, meticulosa e justa. A gestão em 2017 dependerá da definição de estratégias, fruto de profundo planeamento, que permitirão a esta Câmara Municipal continuar ativamente a sua missão enquanto parte atuante no futuro deste concelho.

À semelhança dos anos anteriores, também em 2017, em resultado do seu desenvolvimento, Oeiras continua a não receber um cêntimo do Orçamento de Estado, contribuindo sim, em sentido contrário, com cerca de 800 mil euros para o fundo de apoio aos municípios com dificuldades.

Esta e outras condicionantes, nomeadamente legislativas, permitirão no entanto a Oeiras continuar um modelo de gestão assente em escolhas objetivas, seletivas e mais criativas, transformando desafios em oportunidades, definindo estratégias, traçando objetivos e dando primazia ao que é essencial.