A biografia da luz e o envelhecimento em análise

A biografia da luz e o envelhecimento em análise

15 mai 2015
  • Cultura
foto

Uma Biografia da Luz ou a Triste História do Fotão Cansado', ensaio dedicado à natureza e às propriedades da luz como matéria da ciência e do desenvolvimento tecnológico, serviu de mote ao debate protagonizado por Carlos Fiolhais e José Tito Mendonça na edição de maio de Conversas na Aldeia Global. No Ano Internacional da Luz e no momento em que se assinalam os 100 anos da teoria da relatividade geral de Einstein, a conversa centrou-se na importância da luz na ciência e na vida. «À luz devemos a maior parte da informação que recebemos do Universo. Graças às tecnologias baseadas na luz conseguimos hoje viver melhor na Terra. Por tudo isso, é bom que neste Ano Internacional da Luz se faça mais luz sobre a luz. Uma Biografia da Luz conta-nos o essencial sobre a luz de um modo assaz cativante. Um livro que ilumina» escreveu Carlos Fiolhais. Em junho, a convidada de Conversas na Aldeia Global foi a jornalista Maria Elisa Domingues, para um debate sobre o amor nos idosos. Tendo por base o livro que editou recentemente, 'Confissões de uma mulher madura', e partindo da sua própria experiência de vida, Maria Elisa defende que a entrada nesta nova fase da vida pode e deve corresponder a um recomeço, durante o qual é possível descobrir o amor, melhorar as relações de família – apesar das perdas – e agir com mais sabedoria. Foi também convidada a investigadora e psicoterapeuta Ana Alexandra Carvalheira, que enquadrou e deu um sentido mais universal a assuntos como a vida sentimental, emocional ou a sexualidade.