Centro de Saúde de Paço de Arcos inaugurado

Centro de Saúde de Paço de Arcos inaugurado

14 mai 2007

Em funcionamento desde o dia 14 de Maio, a Extensão de Paço de Arcos do Centro de Saúde de Oeiras foi oficialmente inaugurada no dia 29 de Maio, numa cerimónia que contou com a presença do ministro da Saúde.

São mais de 22 mil os utentes do Serviço Nacional de Saúde beneficiados pela transferência da Extensão de Saúde de Paço de Arcos para um edifício construído de raiz para o efeito, junto ao Alto dos Moinhos. Catorze médicos exercem ali medicina geral, medicina familiar, providenciando também consultas de psicologia, em paralelo com o funcionamento de uma Unidade de Saúde Familiar (USF) Delta, à qual estão afectos oito médicos. Presente na cerimónia, o ministro da Saúde, Correia de Campos, aludiu ao facto de se assinalar, precisamente naquele dia, um ano sobre a criação das primeiras Unidades de Saúde Familiares do País.

“Não poderia haver melhor forma de assinalar esse facto do que inaugurar mais uma, aqui, em Paço de Arcos”, disse. O governante fez ainda referência, relativamente ao concelho, àquelas que considerou serem condições geográficas, populacionais e de planeamento urbano “privilegiadas” adiantando, contudo, que estes “privilégios” resultam do “mérito” de todos quantos trabalharam, em prol do desenvolvimento de Oeiras, ao longo dos anos.

Recordando a assinatura, em 2001, do protocolo que viabilizou a construção do novo edifício da Extensão de Saúde de Paço de Arcos, Correia de Campos congratulou-se pela parceria firmada com a Câmara Municipal, lançando as bases para novos acordos, em situações futuras. A directora do equipamento referiu-se, por seu lado, aos funcionários que durante anos exerceram a sua actividade nas antigas instalações do centro de saúde como “heróis”, porque, disse, “aguentaram tudo e nunca deixaram de acreditar” que melhor seria possível. Nesse sentido, acrescentou que “o Centro de Saúde de Oeiras já não é só esperança de mudança. Atravessa, agora, um verdadeiro momento de mudança, pelo que ninguém pode ter já dúvidas relativamente à sua força e ao seu dinamismo”. A esse propósito, o presidente da Câmara Municipal fez questão de assinalar que “aquilo que diferencia os grandes homens e as grandes mulheres é o facto de acreditarem que o que demora muito tempo a concretizar-se também é possível”. Referindo-se às condições em que funcionou, durante anos, a Extensão de Paço de Arcos do Centro de Saúde, Isaltino Morais disse que “foi uma situação que se arrastou durante demasiado tempo”. Mesmo reconhecendo as “dificuldades do Governo” e apesar dos “cortes impostos pela Lei das Finanças Locais”, o presidente da Câmara reiterou a intenção da Autarquia em fazer da Saúde e da Educação as prioridades da sua acção, intenção reflectida na construção dos próximos centros de saúde, em Algés e Carnaxide. “Ao nível dos cuidados de saúde primários, entendemos que os munícipes de Oeiras merecem mesmo o melhor”, acrescentou. Recorde-se que a construção do novo edifício representou, para a Autarquia, um investimento na ordem dos dois milhões de euros, tendo a obra sido acompanhada e fiscalizada, nas suas diversas fases, pelo ministério tutelar, ao qual coube garantir o equipamento e gestão do centro de saúde.