Conservação e restauro da Igreja de S. Pedro de Barcarena

Conservação e restauro da Igreja de S. Pedro de Barcarena

16 ago 2017
  • obras municipais
foto

A Igreja Paroquial de S. Pedro de Barcarena, uma das mais importantes e interessantes do concelho, tem vindo a ser intervencionada, há já mais de uma década, quer a nível de edificado, quer do seu rico e notável espólio, no âmbito da preservação do património histórico e artístico promovida e patrocinada pela Câmara Municipal.

Esse desígnio resulta, no caso desta igreja, da colaboração entre a Fábrica da Igreja Paroquial de S. Pedro de Barcarena e o Município, que garante apoio técnico e financeiro.

Os trabalhos realizados tiveram início no edificado – primeiro exterior e depois interior cultual – e incluíram também acervo cultural.

A primeira fase dessas ações, que contou com a colaboração da Direção Regional de Lisboa da Direção Geral dos Edifícios e Monumentos Nacionais, envolveu coberturas (telhados e respetivas estruturas madeiradas, rufos, sistema de drenagem de águas pluviais), fachadas (paramentos exteriores, beirados, frontões de coroamento, cantarias, reparação do guarnecimento dos vãos, portas e caixilharias das janelas) e torres sineiras (coruchéus, zonas ventaneadas e o conjunto de sinos).

O processo de intervenção centrou-se depois no interior, privilegiando a zona cultual, com o restauro e conservação do teto em abobada de berço da nave única, destacando-se a pintura da tela que o reveste, incluindo a do respetivo medalhão central, as sobre as telas em grade, laterais ao arco separador e, ainda, as murais nas paredes em arco que o delimitam. Seguiram-se as pinturas dos paramentos interiores das paredes da nave, incluindo acima e abaixo do coro alto, e as da capela-mor, bem como as das sancas policromadas, acrescida da limpeza e tratamento de cantarias.

Tal como nas anteriores, também a recente intervenção envolveu diversas especialidades relacionadas com o restauro e conservação de artes decorativas, passando por pintura mural e em tela, azulejaria, talha, paramentaria, esculturas e papéis de revestimento; conservação e restauro dos retábulos (incluindo o do altar-mor), das capelas laterais e colaterais, batistério, e outros elementos (balaustradas, confessionários, púlpitos, guarda-vento, revestimentos azulejares e baldaquinos).

Neste âmbito foram concedidos à Fábrica Paroquial subsídios de valor superior a 600 mil euros.