Conversas na Aldeia Global continuam a alimentar ideias e reflexões

Conversas na Aldeia Global continuam a alimentar ideias e reflexões

21 jan 2016
  • Cultura
foto

As Bibliotecas Municipais de Oeiras promovem desde 2007 o projeto 'Conversas na Aldeia Global', com a finalidade de proporcionar um espaço informal de debates dedicados à divulgação de temas que marcam a atualidade. No papel de moderador, colabora o jornalista Vasco Matos Trigo. Em 2016, o 11º ciclo está a assinalar o «Ano Internacional para o Entendimento Global» e conta com a participação de personalidades especializadas em diferentes domínios do conhecimento para estimular e ajudar na reflexão sobre a compreensão global enquanto construtora de pontes. No rescaldo da 21ª Cimeira do Clima, o professor Filipe Duarte Santos deu o pontapé de saída para um novo ciclo de Conversas na Aldeia Global com o debate sobre o tema das alterações climáticas, subordinado ao tema 'Alterações Globais: os desafios e os riscos presentes e futuros'. O Mundo interligado no tecido da globalização depara-se com um crescente número de conflitos, deslocações ou incertezas – num misto de oportunidades ou de riscos existenciais. Em fevereiro foram as questões da migração internacional e da globalização a ser analisadas por Rui Marques, atualmente envolvido na Plataforma de Apoio aos Refugiados e responsável pelo Instituto Padre António Vieira. Estiveram em debate temas como as políticas de integração, a vulnerabilidade das populações, o preconceito, a segregação e a discriminação étnica, cultural ou religiosa. Já no mês de março, a conversa contou com a apresentadora de televisão, atriz e autora, Catarina Furtado, que assumiu, em 2009, o compromisso de Embaixadora de Boa Vontade do Fundo das Nações Unidas para a População (UNFPA). 'O que vejo e não esqueço' é o título da sua última obra (2015), na qual relata seu percurso de cidadã e voluntária, envolvendo-nos na importância da solidariedade e da incursão no mundo do voluntariado.