Mais um edifício recuperado em Paço de Arcos

Mais um edifício recuperado em Paço de Arcos

20 nov 2014
  • Habitação
  • Investimento
foto

Estão praticamente concluídos os trabalhos que permitiram a reabilitação do edifício com o número 196 da Rua Costa Pinto, o segundo a ser reabilitado em Paço de Arcos no âmbito do programa de habitação jovem nos centros históricos.

Construído no início do século passado, este conjunto habitacional constitui um elemento patrimonial de relevante interesse arquitetónico. Representa uma realidade urbana cujas características construtivas eram marcadas por uma simplificação do modelo pombalino, substituindo-se a gaiola por um sistema mais simples, o gaioleiro. Nas fachadas identificam-se numa mistura de estilos de um século marcado pelo ecletismo e pelos revivalismos clássicos. A obra de recuperação permitiu a criação de dez apartamentos, dois de tipologia T0, seis de tipologia T1 e dois de tipologia T2. No rés-do-chão está prevista a criação de dois espaços comerciais, ficando um reservado para a reinstalação da padaria que funcionava anteriormente neste local. Este estabelecimento constitui um importante polo de dinamização desta rua e do centro histórico da vila de Paço de Arcos. O projeto de reabilitação deste imóvel, bem como o lançamento e acompanhamento da respetiva obra, são da responsabilidade do Departamento de Habitação e Reabilitação Urbana da Câmara Municipal de Oeiras. A obra foi adjudicada pelo valor de 734.352,45€ (IVA incluído) e teve a duração de 18 meses. Recorde-se que o Programa Habitação Jovem nos Centros Históricos se integra no Plano Estratégico Habitar Oeiras. Este programa visa fomentar a construção de habitação de forma a permitir e incentivar a fixação de jovens e assim contrariar a tendência de envelhecimento. Pretende-se dotar o município de um parque edificado com fogos de tipologias pequenas (T0,T1 e T2) com vista ao posterior arrendamento a jovens com idades até os 35 anos, garantindo-se a rotatividade e permanência de uma nova população naqueles núcleos urbanos. Como meta estima-se que até 2020 a autarquia promova a edificação/recuperação de cerca de 300 fogos na área dos centros históricos. Até ao momento foram adquiridos 21 edifícios nos núcleos históricos de Oeiras, Paço de Arcos, Carnaxide, Dafundo e Barcarena que irão permitir a criação de 125 novos fogos. Destes edifícios, quatro já foram intervencionados, dando origem a 16 fogos, e dois encontram-se em obra. O valor de investimento neste programa, entre aquisições e obras realizadas, ascende já aos 6.507.478,00€.

Para integrar este programa e ter a possibilidade de beneficiar de uma das habitações disponíveis, os interessados devem registar-se no Observatório da Habitação, preenchendo o questionário disponível no site do Município. Depois de preenchido e assinado, este questionário pode ser entregue pessoalmente nos gabinetes de atendimento do Município, enviado por correio ou por correio eletrónico, paraDHRU@cm-oeiras.pt.