Primeiro Ministro José Sócrates visita Taguspark

Primeiro Ministro José Sócrates visita Taguspark

05 jul 2006
  • estratégia e economia
  • obras municipais
  • Comunicação

O primeiro-ministro, José Sócrates, esteve em Oeiras, no final de Junho, para presidir à cerimónia de inauguração do Edifício de Expansão do Núcleo Central do Taguspark que permitirá viabilizar a instalação de 58 novas micro empresas do sector tecnológico.

O novo espaço, com cinco mil metros quadrados de área, permitirá responder à grande procura para a instalação das muitas micro empresas que têm sido criadas, quer fora do Taguspark, quer com o apoio da Incubadora de Ideias. A obra prolongou-se durante sete meses, correspondendo a um investimento que ascendeu aos 3,6 milhões de euros. A Incubadora de Ideias visa promover a inovação de base tecnológica e a criação de novas empresas, através da aposta sustentada no capital intelectual de potenciais empreendedores, com o propósito de contribuir para o desenvolvimento geral da economia, através do crescimento do tecido empresarial. Acompanhado pelo ministro da Ciência, Tecnologia e Ensino Superior, Mariano Gago, e pelo coordenador do Plano Tecnológico, Carlos Zorrinho, José Sócrates iniciou a sua visita no edifício do Instituto Superior Técnico (IST), onde decorreu a apresentação do projecto LEMe – Laboratório de Excelência em Mobilidade. Baseado no espírito de colaboração Universidade-Indústria, o LEMe resulta de uma parceria firmada entre a Ericsson, a Fundação Portugal Telecom, a Siemens, a SUN Microsystems e a Sociedade Tagusparque. O LEMe constituirá um centro de projectos inovadores, no Ensino e na Investigação e Desenvolvimento, enquadrando estudantes de graduação e pós-graduação, e professores do IST, em colaboração com investigadores e profissionais da indústria. O Laboratório tem já instalações próprias, no campus do IST no Taguspark, onde um conjunto de investigadores trabalha já no desenvolvimento de projectos. No âmbito desta deslocação ao Taguspark, a comitiva governamental visitou ainda as empresas Chipidea, Alfama e Almadesign. Dedicando-se ao desenvolvimento de actividades de projecto, produção e comercialização de circuitos integrados de sinal misto analógico e digital para o mercado mundial de semicondutores, a Chipidea iniciou a sua actividade em 1997, no Taguspark, onde actualmente dispõe de um edifício próprio. A empresa conta com 220 colaboradores e tem instalações em diversos países, entre os quais Estados Unidos da América, Bélgica, França, Israel e China. Quanto à Alfama, dedicase à descoberta e desenvolvimento de novos fármacos, com ênfase em anti-inflamatórios. A empresa foi lançada com base numa invenção de dois dos seus fundadores, que consiste no uso de moléculas libertadoras de monóxido de carbono para o tratamento de uma vasta gama de doenças. A Almadesign presta serviços de projecto e consultoria de design, integrando todas as fases, da pesquisa à promoção, passando pelo desenvolvimento, a prototipagem e a produção, dedicando-se prioritariamente ao design de meios de transporte.