É seres alma e sangue e vida em mim

É seres alma e sangue e vida em mim

05 jun 2015
  • Cultura
foto

A propósito da comemoração dos 120 anos do nascimento de Florbela Espanca, a Fundação Marquês de Pombal tem vindo a promover, ao longo deste ano, diversas iniciativas de caráter cultural. O ciclo teve início com a divulgação dos poemas inéditos de Florbela, publicados em março último, seguindo-se uma aula para os alunos do ensino secundário do Agrupamento de Escolas de Miraflores. Seguiu-se, já em junho, uma aula aberta pela investigadora Severina Gonçalves, conduzida como uma viagem pela vida de Florbela Espanca, com início em Vila Viçosa onde, com apenas oito anos, escreve o seu primeiro poema, A Vida e a Morte, seguindo de modo irreverente e inconstante, como a própria poetisa, até aos 36 anos, quando morre, em Matosinhos, acompanhando o seu Diário do último ano e a riqueza literária dos seus contos. Esta iniciativa foi dinamizada, em parceria, pela Fundação Marquês de Pombal, pela Nova-Acrópole Oeiras-Cascais e pela Thinkers - Eventos e Arte.