25º Aniversário da Biblioteca Municipal de Oeiras

25º Aniversário da Biblioteca Municipal de Oeiras

Online

30/04/2021

online

Gratuito

30 de Abril de 2021
  • Biblioteca
  • Cultura
  • Lazer
  • Música
  • Família
cravo

A Biblioteca Municipal de Oeiras está de parabéns. 

Em 1996 as portas do atual edifício da biblioteca abriram, pela primeira vez, e iniciaram um percurso de 25 anos de histórias, de sonhos, de serões, de conversas, de desafios, de capacitação da comunidade, com a comunidade.

Em 25 anos a Biblioteca Municipal de Oeiras recebeu muitas centenas de milhares de pessoas: desde a criança que explorou as estantes do Espaço Infantil ao jovem que estudou horas a fio na Sala de Leitura; dos pais que levaram os filhos à Hora do Conto aos avós que ali aprenderam a navegar na internet e fizeram daquele o seu espaço de encontro e leitura da imprensa diária. 

Nestes 25 anos muitos foram os que passaram por aquela casa: José Saramago, José Luís Peixoto, Luís Sepúlveda, João Tordo, Manuel Alegre, Afonso Cruz, Gonçalo M Tavares, Lídia Jorge, António Lobo Antunes, em suma, os grandes nomes da literatura nacional ali marcaram presença, no Café com Letras e em outros projetos que fazem parte da história desta biblioteca.

Ali se sonhou um projeto de seu nome Oeiras Internet Challenge, em que os jovens testam a sua destreza na boa seleção da informação online, e que tem neste ano de 2021 já uma edição nacional: cresceu, tal como cresceu esta biblioteca na sua oferta de livros, jornais e revistas, estas últimas agora online; ali se constrói ano após ano a presença das Bibliotecas de Oeiras nas praias do concelho, este ano com uma rede de quatro localizações; ali se iniciou o processo de automatização dos serviços, com tecnologias que permitem o auto-empréstimo e devolução de livros.

Ali se sonhou no Pijama às Letras com os mais pequenos a pernoitarem comemorando o aniversário de Hans Christian Andresen, ali se deu vida aos livros com peças de teatro, ali se contaram Histórias de Vida, ali se formou uma geração de narradores que transmitem a literatura de tradição oral, ali se transformaram (e continuarão a transformar) sonhos em realidade: porque aquela é, parafraseando Mafalda Milhões, uma casa onde cabe toda a gente.
Ali estamos, e estaremos, convosco.

E para celebrar esta data especial, a programação online é, também ela, única.

A programação alusiva aos 25 anos da Biblioteca de Oeiras vai realizar-se durante vários dias com datas a anunciar oportunamente. Esteja atento à pagina de Facebook das Bibliotecas de Oeiras.

 

PROGRAMA:


MANIFESTO ANTI-LEITURA
Pela voz de José Fanha, ouvir-se-ão ecoar na Biblioteca de Oeiras, as palavras que constituem o Manifesto Anti-Leitura: uma declaração de amor irónica e divertida aos livros, à literatura e às bibliotecas.
 

CONCERTO DE JOÃO AFONSO
Nas comemorações dos 25 anos da Biblioteca de Oeiras e que coincidem com a Revolução dos Cravos, oferecemos a todos este presente: a voz de João Afonso e as letras de escritores como José Eduardo Agualusa e Mia Couto, para além de outras canções inspiradas em obras literárias universais, de Gabriel Garcia Márquez a Luís Vaz de Camões.

 


 

PAZ, POETAS E POMBAS (a partir de Utopia: cartas a José Afonso)
As Bibliotecas Municipais, sendo espaço de encontro, são necessariamente espaço de emoção. Neste período em que o sensível está tolhido pelas circunstâncias, a Biblioteca Municipal de Oeiras, na celebração dos seus 25 anos, traz-vos uma das mais belas cartas alguma vez escritas a José Afonso, reveladas nas vozes encantadoras de Ana Sofia Paiva e Marco Oliveira.
Mantém-se a lógica de serem as nossas cartas ao Zeca, de cantarmos as suas músicas e dizermos a sua poesia, mas faremos alterações em termos de repertório, acrescentando outros cantautores, poetas e escritores. É uma celebração dos valores de Abril ancorada na música e na palavra poética.

 


 

O LUGAR ONDE MORAM AS PALAVRAS - narração oral com Cristina Taquelim (narradora) e Ana Santos (instrumentista).
Nos 25 anos da Biblioteca Municipal de Oeiras, Cristina Taquelim, traz-nos a magia das palavras e conta-nos aquilo que só ela sabe mas que quer partilhar connosco:
Sei de um lugar onde moram as palavras. Uns chamam-lhe memória. Outros tempo. Outros chamam-lhe música. Outros silêncio apenas. 
Para iluminar o caminho que nos conduz a esse lugar, iremos cantaroler e cantarolar, criando diálogos entre a música e as palavras contadas e lidas, entre as histórias escutadas, lidas, vividas. 
Se existir um lugar para a palavra morar, esse lugar será ABRIL.

 


 

CAÍDAS DO TECTO 
Integrado nas comemorações dos 25 anos da Biblioteca Municipal de Oeiras, exibe-se nas nossas redes sociais, uma peça de teatro baseada no livro “O Ano da Morte de Ricardo Reis”, pela Companhia de Actores.
Este trabalho parte da obra para construir um encontro entre José Saramago e Fernando Pessoa, em que ambos se juntam para pôr Ricardo Reis à prova na sua ideia de concepção do mundo. 
Saramago e Pessoa constituem um primeiro núcleo cénico que, conversando um com o outro sobre quem é este novo Reis, vão escrever a história e dar origem a um segundo núcleo, o das personagens da narrativa. Assim, o espectador terá acesso, não só a um diálogo entre os dois criadores, mas à escrita viva da história das personagens, podendo esta mudar e ser reescrita por decisão deles. A personagem cénica de Pessoa será, como no livro, um ser espectral, que circula tanto na dimensão dos criadores, como na dimensão das personagens criadas, aparecendo a Ricardo Reis. 
Saramago será em cena o provocador que Saramago- autor é no livro, pondo diante de Ricardo Reis os elementos que o desafiarão e aos quais será impossível permanecer alheio e indiferente.

 

 



Parabéns, Biblioteca Municipal de Oeiras!



 

Precisa de ajuda? chatBotLogo