Escola de Oeiras integra projeto-piloto para crianças com comportamentos de risco

Escola de Oeiras integra projeto-piloto para crianças com comportamentos de risco

29 nov 2017
  • Segurança
  • Educação
  • Juventude
foto

A EB1 Gomes Freire de Andrade, em Oeiras, é uma das escolas que vai integrar um projeto-piloto que se propõe identificar e apoiar crianças entre os seis e os dez anos com problemas de comportamento e que revelem necessidade de intervenção especializada.

Resultado de uma parceria entre a Direção-Geral dos Estabelecimentos Escolares, a Polícia de Segurança Pública e a Clínica PIN - Progresso Infantil, a iniciativa tem como objetivo desenvolver um modelo de resposta articulada para casos de comportamentos de risco.

O projeto será desenvolvido até ao final de 2018 e inclui a formação de quem trabalha com as crianças. As escolas e os elementos da Escola Segura vão identificar os casos com necessidade de intervenção sendo depois criado um projeto personalizado com os técnicos da PIN, em articulação com a equipa de psicólogos, docentes das escolas e elementos da PSP.

Para o ministro da Educação, Tiago Brandão Rodrigues, 'este relevante trabalho de inclusão escolar neste espaço de tranquilidade exige mais e melhor formação, exige uma cuidada implantação de estratégias desenhadas no diagnóstico de situações para melhorar a atuação'.

O ministro da Administração Interna, Eduardo Cabrita, acrescentou que uma intervenção na primeira infância marca toda a vida das crianças e que a sua boa integração escolar determinará a possibilidade de serem cidadãos de sucesso.

De acordo com o definido no protocolo assinado pelas entidades envolvidas, o APPI - Apoio Personalizado e Proteção na Infância destina-se a crianças com idades compreendidas entre seis e dez anos que frequentem escolas básicas do 1.º ciclo sinalizadas com perturbações do neurodesenvolvimento e do comportamento, e respetivos familiares, não sendo elegíveis os casos já acompanhados pelas comissões de proteção de crianças e jovens ou sobre as quais decorrem já processos tutelares educativos.

Sem prejuízo de eventual alargamento a outras escolas durante a vigência do projeto-piloto, o APPI decorrerá na EB1 Gomes Freire de Andrade, no concelho de Oeiras, EB1 Rómulo de Carvalho, no concelho de Cascais, EB1 JI da Cavaleira, no concelho de Sintra e EB1/Jardim Infância Augusto Gomes, no concelho de Matosinhos.

O projeto prevê formação que possibilite a todos os técnicos intervenientes o domínio de conceitos e procedimentos técnico legais habilitadores da promoção da intervenção especializada e a identificação, sinalização e acompanhamento das crianças, com comportamentos de risco ou gravemente violadores dos deveres do aluno, durante um período aproximado de quatro meses.