As principais estratégias municipais previstas
estrategia

As principais estratégias municipais previstas

Como já referido, o grande fito para o desenvolvimento concelhio atualmente assumido pela Câmara Municipal, perspetiva uma estratégia de afirmação social, cultural e económica, no contexto da Economia do Conhecimento.

Nos últimos anos, as estratégias concelhias foram muito baseadas em apostas robustas na captação e na qualificação dos respetivos habitats, quer de residentes qualificados, quer de empresas que desenvolvam atividades de significativo valor acrescentado e conhecimento.


Em simultâneo, o município tem igualmente exercido importante atividade em determinadas áreas que, de forma estrutural em Portugal, têm carecido de investimentos e de apoio de ordem pública: as infraestruturas de saneamento e de acessibilidades; a habitação social; a dotação de equipamentos sociais (equipamentos sociais, escolares, de saúde e desporto, de cultura); a qualificação ambiental.


O sucesso registado nas estratégias dos últimos anos não tem, no entanto, deixado de colocar o Município atento à transformação das dinâmicas que se registam em âmbitos mais globais. Correspondendo a essa compreensão de mudança de paradigmas, que exigem atitudes e respostas distintas – como se verifica no documento de Fundamentação da Proposta de Revisão do Plano Diretor Municipal – assumindo a necessidade de construção de uma nova etapa de governação em Oeiras. Neste documento estão abertas diversas frentes de projeção estratégica:

 

  1. A majoração das opções inovadoras que concentrou as “unidades portadoras de futuro” para o Concelho;
  2. A consolidação e diversificação das linhas de competitividade e de atratividade dos parques tecnológicos e das áreas empresariais;
  3. A inovação em matéria de Ambiente;
  4. A atração de outros sectores de atividade, ligados à qualificação e inovação, como é o caso dos sectores da Saúde e da Cultura;
  5. O fomento das estruturas de parceria e de governação conjunta, com entidades de âmbito regional;
  6. O controlo do uso do solo, garantindo melhores equilíbrios e um adequado policentrismo, reforçando e consolidando as urbanidades já existentes;
  7. A resolução de diversos problemas ligados à mobilidade, num contexto de mobilidades cruzadas;
  8. Uma atenção especial à questão da água;
  9. O estabelecimento de uma marca firme do território de Oeiras;
  10. O aumento do cosmopolitismo e das dinâmicas culturais.


Nestes âmbitos, a Câmara Municipal de Oeiras tem delineada uma série de iniciativas e de investimentos, diversas já em curso.