DSA

DSA | Divisão de Sistemas Aplicacionais

Licínio Furtado Pereira

 

​Tem por missão implementar, manter, instalar ou desenvolver o software aplicacional e os sistemas de informação e gestão de conhecimento utilizados pelos serviços, posicionando-se como alavanca da modernização administrativa e tecnológica, numa lógica de inovação e permanente adequação à evolução dos sistemas de informação e às necessidades decorrentes da atividade municipal.

 

Na prossecução da sua missão compete, à DSA, através dos seus Núcleos, designadamente as seguintes funções:

Núcleo de Gestão e Implementação de Aplicações (NGIA):

a. Implementar e apoiar a exploração dos sistemas de informação e garantir que as aplicações asseguram a necessária integração dos principais circuitos de informação, tendo em vista a melhoria dos serviços prestados pelo município;

b. Promover a proximidade e melhoria da qualidade do serviço prestado ao cidadão, através da disponibilização de canais públicos de comunicação e ferramentas Web da nova era digital, contribuindo para uma gestão participada em articulação com a DGO;

c. Apoiar a exploração dos sistemas de informação e garantir que as aplicações asseguram a necessária integração dos principais circuitos de informação, tendo em vista a melhoria dos serviços prestados pelo município;

d. Assegurar as especificações e metodologia de interoperabilidade com e entre todo o universo aplicacional;

e. Assegurar a gestão de todo o universo aplicacional, incluindo o ciclo de vida de cada aplicação, desde a fase do levantamento de requisitos até à utilização em ambiente produtivo;

f. Gestão de aplicações (3.ª linha de apoio aos utilizadores);

g. Promover, acompanhar e coordenar a utilização dos diversos sistemas aplicacionais junto dos diversos serviços e unidades orgânicas do município;

h. Auxiliar o NGRC na identificação e na gestão dos riscos da atividade da Divisão, e assegurar uma gestão em conformidade com as políticas de segurança e de controlo que se encontrem estabelecidas.

 

Núcleo de Análise e Gestão de Informação (NAGI):

a. Implementar e apoiar a exploração de sistemas que contribuam para melhorar a capacidade da gestão do conhecimento numa lógica de fornecimento de informação de gestão e de suporte à decisão;

b. Apoiar a exploração de sistemas que contribuam para melhorar a capacidade da gestão do conhecimento numa lógica de fornecimento de informação de gestão e de suporte à decisão;

c. Desenvolver e implementar sistemas de Inteligência do Negócio que contribuam para melhorar a capacidade da gestão do conhecimento;

d. Promover a otimização, tratamento, análise e gestão do Big Data, inerentes às diversas plataformas, sistemas de informação e dispositivos IoT;

e. Promover a integração e computação dos dados decorrentes das diversas iniciativas de Oeiras Território Inteligente;

f. Promover a proximidade, transparência e melhoria da qualidade do serviço prestado ao cidadão, através dos diversos canais e plataformas do município;

g. Promover a utilização de sistemas de inteligência artificial associada à computação e ciência dos dados.

 

Núcleo de Investigação e Desenvolvimento (NID):

a. Traduzir os requisitos de negócio num desenho funcional ou técnico, que garanta o desenvolvimento de aplicações ou a melhoria das mesmas, de acordo com necessidades específicas dos serviços;

b. Gerir o ciclo de vida do desenvolvimento das aplicações, planeando a sua manutenção e garantindo sempre que necessário à sua evolução identificando e gerindo as atividades e os riscos de cada release;

c. Controlar a qualidade de cada release, através da manutenção de um ambiente e metodologia de testes que garanta os impactos esperados na entrada em produção dos mesmos;

d. Elaborar a documentação de cada release, bem como proceder à avaliação da satisfação dos utilizadores com a mesma, após a entrada no ambiente de produção.

e. Em articulação com a DGSI, implementar e apoiar na integração dos sistemas de gestão de bases de dados e do restante middleware, com a arquitetura aplicacional existente;

f. Apoiar o NEI na definição e implementação da arquitetura aplicacional;

g. Promover e realizar estudos e projetos de investigação e desenvolvimento tecnológico, nos diversos domínios das tecnologias e sistemas de informação;

h. Promover e assegurar o estudo, a conceção e o desenvolvimento de sistemas de informação orientados para o Governo Eletrónico e para a inovação;

i. Desenvolvimento, gestão e administração de portais, em articulação com os serviços do Município;

j. Assegurar o funcionamento de um laboratório de desenvolvimento e certificação de novos projetos suportado em estágios e equipas externas multidisciplinares;

k. Promover a ligação com a Academia no sentido de potenciar as competências e inovação associada aos sistemas de informação do município;

l. Garantir, em parceria com a DGO-SAM, a elaboração e aplicação do Plano de Preservação Digital;

m. Promover o desenvolvimento e integração de novas tecnologias disruptivas, inerentes à transformação digital.

 

Compete ainda à DSA, as seguintes funções:

a. Colaborar com o GIT na criação e atualização da informação geográfica produzida no âmbito das suas competências;

b. Elaborar, acompanhar e avaliar os instrumentos de gestão estratégica, previsional e de contas;

c. Promover e participar em programas e iniciativas de modernização, otimização e simplificação de processos de trabalho e procedimentos, em prol da melhoria contínua dos serviços municipais.

Aviso n.º 2238/2022, de 1 de fevereiro de 2022, Designação do Dr. Licínio Gabriel dos Santos Furtado Pereira como chefe da Divisão de Sistemas Aplicacionais